Boa tarde, Domingo 08 de Dezembro de 2019

Policia

Presas cultivam flores em penitenciária para ter renda e reduzir pena em MT

CULTIVAM FLORES | 02/12/2019 13h 19min

Cerca de 30 presas participam do projeto — Foto: Nara Assis / Sesp-MT

Cerca de 30 presas estão cultivando e comercializando flores tropicais na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto, em Cuiabá, para ter uma fonte de renda. Além disso, a participação no projeto concede às reeducandas remição de pena, na proporção de três dias trabalhados por um dia de redução.

As flores são cultivadas dentro do presídio. No local, foi montada uma estufa com dois tipos de tela de sombreamento, uma com 65%, indicada para cultivo de flores delicadas, e a outra de 35% para folhagens e demais flores.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o plantio começou há cerca de dois meses.

Para participar do projeto, é necessário que as presas frequentem as aulas da Escola Estadual Nova Chance, que fica dentro do presídio.

De acordo com a Sesp, geralmente, as flores cultivadas pelas presas são vendidas para floriculturas e empresas de decoração e de paisagismo.

Inicialmente, o objetivo é comercializar as espécies helicônias, alpíneas e bastão do imperador, que foram plantadas pelas presas sob orientação de professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

No entanto, as reeducandas também aprendem sobre o plantio de cactos e suculentas, que são opções de plantas de fácil manutenção e utilizadas para decorar ambientes residenciais e comerciais.

O objetivo do projeto 'RefloreSer', segundo a Sesp, é contribuir para a não reincidência no crime.

Fonte:   G1 MT