Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 27 de Junho de 2022

Geral

Nova cepa da dengue é identificada em MT, diz pesquisa

NOVA CEPA DA DENGUE | 23/06/2022 20h 20min

Nova cepa da dengue é identificada em Mato Grosso, dz pesquisa — Foto: Reprdoução/EPTV

Uma nova cepa do vírus da dengue foi identificada em Mato Grosso, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

No estado foi identificado a circulação do genótipo do sorotipo II do vírus, mais conhecido como cosmopolita.

De acordo com a pesquisa, a cepa está presente na Ásia, no Oriente Médio e na África.

No Brasil, o primeiro caso foi registrado em Goiás e, em seguida, foram identificados casos em Mato Grosso do Sul, São Paulo e Mato Grosso.

No estado, a análise foi feita em parceria com o Laboratório Central de Mato Grosso (Lacen-MT).

A equipe da Fiocruz recebeu, entre 5 e 10 de junho, 32 amostras com resultado positivo prévio para dengue.

Após sequenciamento utilizando a metodologia de nanoporos, do total de amostras analisadas, 29 corresponderam ao tipo DENV-1 genótipo V, cepa mais comum no estado, e três amostras corresponderam ao DENV-2 genótipo emergente de tipo II, a variante cosmopolita.

Os casos da variante são provenientes dos municípios de CuiabáNortelândia e Sorriso.

Para a pesquisa, também foram colhidos materiais nos municípios de Novo MundoNova MaringáSanto Antônio do LevergerTangará da SerraLucas do Rio VerdeNova Santa Helena e Água Boa.

A nova cepa é considerada mais transmissível, mas os cuidados são os mesmos — Foto: TV TEM /Reprodução
A nova cepa é considerada mais transmissível, mas os cuidados são os mesmos — Foto: TV TEM /Reprodução

Segundo a Fiocruz, esta é a primeira detecção deste genótipo no estado.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) explica que a nova cepa é mais transmissível que as variantes que já circulam no estado, mas os cuidados preventivos a esse novo genótipo da dengue são os mesmos, como a limpeza dos quintais.

Para combater e prevenir os casos de dengue no estado, a SES-MT realiza a distribuição de insumos, como inseticidas e larvicidas utilizados como medida complementar ao controle do vetor, além de fazer o controle de qualidade na identificação das larvas encontradas e coletadas nos municípios.

 

Dengue em Mato Grosso

 

Como é a transmissão da dengue — Foto: Arte g1

Como é a transmissão da dengue — Foto: Arte g1

Os casos de dengue em Mato Grosso aumentaram 158% entre janeiro e junho deste ano em comparação com o mesmo período de 2021. Neste ano já foram registrados 27.986 casos de dengue e no ano passado foram 10.806 notificações, por isso, o risco no estado é considerado alto.

Em relação ao número de mortes, neste ano foram confirmadas 13 óbitos pela dengue e outras quatro estão em investigação. já no ano passado foram sete mortes e um em investigação.

Em Cuiabá foram registrados 578 notificações no mesmo período analisado e em 2021, foram 464 casos.

Em Várzea Grande, região metropolitana da capital, houve uma queda no número de casos. Foram registrados 142 notificações neste ano e 152, em 2021.

 

O vírus

 

Sintomas de dengue clássica e hemorrágica — Foto: Arte g1
Sintomas de dengue clássica e hemorrágica — Foto: Arte g1

O vírus da dengue é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e possui quatro sorotipos. Cada um pode ser subdividido em diversas linhagens.

O genótipo II, o cosmopolita, é uma das seis linhagens do sorotipo 2.

A dengue, de modo geral, causa febre, náuseas, desidratação, dor abdominal, irritação da pele, dor de cabeça e dor ao redor dos olhos.

Além da dengue, o Aedes aegypti também é transmissor da Chikungunya e do Zika Vírus.

 

Zika e Chikungunya

 

Mosquito Aedes aegypti é o tranmissor da zika, dengue e chikungunya.  — Foto: Rodrigo Méxas e Raquel Portugal/Fundação Oswaldo Cruz/Divulgação
Mosquito Aedes aegypti é o tranmissor da zika, dengue e chikungunya. — Foto: Rodrigo Méxas e Raquel Portugal/Fundação Oswaldo Cruz/Divulgação

Em Mato Grosso, foram confirmados 254 casos de chikungunya entre janeiro e junho deste ano.

No ano passado foram 115. Com isso, houve um aumento de 120% nas notificações da doença.

Em Cuiabá foram registrados 16 casos neste ano e quatro em 2021.

Já os casos de zika vírus no estado tiveram 162 registros neste ano e 139 em 2021.

Em Mato Grosso houve um aumento de 16% em comparação com o ano passado.

Na capital foram confirmados seis casos de zika em 2022 e dois no ano passado.

 

Receba as informações do Site Lucas Notícias através do whatsapp:
Clique aqui para receber as notícias no seu celular.

Fonte:   G1 MT